Núcleos

NAPpI – Núcleo de Abordagem Psicopedagógica Integrativa

A Psicopedagogia é a especialidade que investiga, compreende o processo de aprendizagem e a relação desta com a pessoa que aprende, através de uma proposta preventiva e/ou terapêutica, levando em consideração os aspectos biopsicossociais.

A proposta Psicopedagógica, possui características específicas, buscando conhecer e compreender os fatores que levam a pessoa a não aprender, portanto é fundamental que o profissional saiba como ocorrem as varias transformações do sujeito nas diferentes etapas de sua vida, quais os recursos de aprendizagem que ele dispõe e a forma pela qual produz conhecimentos e aprende.

O psicopedagogo atua, também preventivamente, nos processos educativos com o objetivo de diminuir a “frequência dos problemas de aprendizagem”. Seu trabalho incide nas questões didático-metodológicas, bem como na formação e orientação de professores, além de fazer aconselhamento aos pais.

O diagnóstico psicopedagógico é dividido em duas etapas: Avaliação e Intervenção.

1-Avaliação aplicação de testes e provas devidamente validados e adaptados a nossa realidade, visita a escola e entrevista de anamnese e devolução para o paciente ou responsável, onde ocorre a indicação ou não de intervenção, bem como outros encaminhamentos se necessário.

2-Intervenção é o tratamento preventivo ou terapêutico, o tempo é indeterminado, depende das causas que levaram as dificuldades diagnosticadas durante a avaliação.

São realizadas em espaço individual ou em grupo, destinadas a crianças, adolescentes e adultos, que apresentem defasagens, dificuldades ou transtornos nas áreas cognitiva e/ou motora.

 

Quando procurar o psicopedagogo!

O profissional deve ser procurado sempre que houver uma suspeita  ou diagnóstico de dificuldade no aprendizado, seja na infância ou na vida adulta, pois a aprendizagem é um processo contínuo que levamos por toda a vida.

Quando nos apropriamos de fato do conhecimento, este não será mais esquecido, mas poderá ser transformado ou resignificado em novas experiências ou aprendizagens, um sinal de alerta é acionado quando surgem dificuldades ou bloqueios que atrapalham o curso natural desse processo.

Também é indicada a procura em casos de inclusão e reabilitação, com a finalidade de orientar os familiares, preparar a criança e demais envolvidos para o processo promovendo  a parceria e integração das áreas terapêuticas  com a escola e a família.

 

Como esses Sinais São Percebidos

 Através de mudanças repentinas de comportamento sem uma causa significativa; como deixar de fazer tarefas, comportamento mais agressivo ou apático, falta ou aumento excessivo do apetite, sono agitado ou muito sonolento, afastamento dos colegas e desânimo para realizar atividades em grupo, queixas físicas frequentes (dor de cabeça ou no corpo, náusea, crise alérgica ou asmática, enurese noturna, entre outras…), resistência para ir à escola (em crianças menores choro persistente para ficar na escola).

A criança naturalmente gosta e quer ir para a escola, ela se organiza e se prepara para esse momento, cada ano é um processo de mudança, que gera ansiedade e expectativa, sendo de grande importância  para ela. Nesse momento cabe aos familiares e professores validarem e valorizarem os sentimentos expressos não importando a quanto tempo ela está familiarizada com o ambiente escolar, pois cada ano é único, com novas propostas e desafios.

Desde o primeiro dia de aula é muito importante ficar atento ao comportamento das crianças no seu dia a dia na escola e em casa.

Em sala de aula é importante que o professor observe não só ao aluno inquieto ou desatento, mas também perceba aquele que se mantém quieto, que faz questão de não ser percebido, mas que apresenta prontamente tudo que lhe é solicitado.

No caso dos adolescentes e adultos observar mudanças bruscas de comportamento sem uma causa significativa, dificuldade em se concentrar, em armazenar informações, em se organizar, desânimo frequente, sono ou fome exagerados, inapetência, insônia, dores físicas, dúvidas vocacionais, a presença devidamente diagnosticada de transtornos emocionais ou de personalidade (por fazerem uso de medicamentos continuamente e por longo período, pode comprometer a cognição).

 

Quando há indicação de Avaliação

– O paciente apresenta independente da faixa etária:

– Dificuldade em manter atenção;

– Pergunta várias vezes o que foi solicitado;

– Desmotivação em realizar tarefas escolares ou em aprender coisas novas;

– Não tolera frustração;

– Não aceita desafios;

– Dificuldade na leitura (fluência e/ou interpretação);

– Trocas ortográficas, espelhamento de letras ou números;

– Textos mal organizados e de difícil compreensão;

– Irregularidade no traçado da letra, linhas mal formadas;

– Dificuldade em compreender e internalizar regras básicas;

-Suspeita ou diagnóstico de Transtorno Específico de Aprendizagem (dislexia, disortografia, discalculia, dispraxia…);

– Suspeita ou Diagnóstico de Transtornos do Neurodesenvolvimento (Autismo, TDAH…);

– Dificuldade de Organização Espacial, Temporal ou de Pensamento;

– Dificuldade no Pensamento Lógico;

– Resistência para ir à escola ou em se manter no ambiente escolar;

– Afastamento temporário da escola por internação hospitalar ou outro fator;

– Repetência escolar;

– Intenção de mudar de escola ou definir para qual escola a criança vai ingressar (avaliar o perfil do educando, para sinalizar qual a proposta de ensino que melhor se adéqua a ele).

 

A partir dessas informações é possível também realizar uma proposta preventiva, pois em muitas situações as dificuldades aparecem por um fator específico, que se diagnosticado e tratado precocemente evita que evolua para um transtorno, também possível de ser tratado, mas por um período muito mais longo, trazendo mais prejuízos e frustrações.

 

Serviços Oferecidos:

O Núcleo Psicopedagógico do InTCC, oferece para a comunidade avaliação e intervenção preventiva ou terapêutica para crianças, adolescentes, adultos e idosos, individual ou em grupo.

Acompanhamento para familiares, visita à escolas.

Para profissionais e instituições é disponibilizado supervisões individuais ou em grupo, oficinas, seminários, palestras e cursos de atualização e extensão.

 

Coordenação

Anelise Delpino (RMEC-7187/90) – Pedagoga, Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional, Terapeuta Familiar Sistêmica, Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental da infância e Adolescência, Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental Adulto, Coach Cognitivo Comportamenal.

 

Gostou deste curso? Entre em contato conosco:

Equipe

  • Anelise Delpino

    Psicopedagoga Clínica e Institucional – RMEC 7187/90
    Terapeuta Familiar e de Casais- AGATEF 581
    Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental da Infância e Adolescência.

  • Patricia Frank

    Pedagoga

    Pedagoga
    Especialista Psicopedagogia Clínica e Institucional